domingo, 22 de março de 2009

Reviver Parte dos Trilhos da Açafa

Mais um Domingo de BTT na companhia de sete amigos e companheiros do pedal. Foram eles Jorge Palma, João Valente, Bruno Dias, Álvaro, Pedro Antunes (por motivos de serviço não nos acompanhou o percurso todo), Agnelo, Nuno Dias (teve que nos abandonar por avaria).
Já tinha ficado combinado, do fim de semana passado, que iríamos reviver parte dos trilhos da Açafa, principalmente os singles da Serrasqueira e visitar a sempre espectacular Foz do Ponsul.
Foram 81 Km com cerca de 1500 de Acumulado e uma manhã muito bem passada, como vem sendo hábito. Ficam as fotos, basta clicares.



Um abraço e até dia 5 de Abril (espero).

domingo, 15 de março de 2009

Martim Branco

Para já ficam as fotos (basta clicares), se tiver tempo depois farei a reportagem.



sexta-feira, 13 de março de 2009

Safari Fotográfico no Vale Feitoso

Não é habito pedalar às Quartas Feiras, muito menos de tarde, mas esta semana fui desafiado para marcar um percurso dentro da Herdade do Vale Feitoso. Para quem não sabe, trata-se de uma das maiores herdades privadas portuguesas, com cerca de 7000 hectares. É uma herdade que tem de tudo, desde a agricultura, a Floresta, à caça maior e menor até às belas paisagens que se podem observar quer Portuguesas, quer Espanholas, uma vez que se encontra na fronteira, delimitada pelo Rio Erges. Depois desta introdução, vamos ao safari. Desafiei os meus colegas de trabalho, Nelson Lopes e Paulo Mendes, que não se fizeram de rogados, pois não é todos os dias que temos oportunidade de fazer um safari de Bike.

Depois da foto de grupo, saímos do Hotel Astória pelas 14h30m, em direcção à herdade passando pelo Hotel Fonte Santa e ladeando o Rio Erges, entrámos na Herdade pelo portão do Lombão, contornámos o ribeiro do Esconderejo e a barragem com o mesmo nome. A primeira fêmea de Veado, passámos por ela a cerca de 2 metros sem a vermos por entre o mato. Ainda não tinha passado meia hora, quando começámos a avistar os primeiros grupos de Veados.



Parecem muito sossegados mas à mais pequena intenção de parar, olhem só o que acontecia...





Fugiam sem nós nos apercebermos porquê. Mais tarde chegámos à conclusão que o barulho metálico do desencaixar dos sapatos dos pedais os assustava, talvés por ser semelhante ao carregar das armas de caça. Ao chegar ao lameiro das queimadas, avistámos um grupo de Gamos e outro de Muflões que não nos deram sessão fotográfica.



Fizemos a primeira paragem na Fonte das Entre Serras, que fica mesmo ao lado do arraial com o mesmo nome. Depois de repormos os líquidos, com a água fresca da fonte, o calor já apertava, fazendo lembrar um dia de Verão, pusemos a conversa em dia e comemos uma barrita, para nos prepararmos para o que tínhamos pela frente.


Depois de uma descida rápida, por estradões com piso bem firme, onde apetecia acelerar, vinha a parede da tarde a Serra da Cacheira, onde se situa a chamada Vigia Velha, que deve o seu nome ao facto de ter sido em tempos um local de vigilância dos Fogos Florestais. Neste local, consegue-se avistar todos os cerca de 7000 hectares da herdade e ver paisagens como esta...

Depois de subir mais uns 50 metros estávamos no ponto mais alto do passeio. Tínhamos pela frente uma descida um pouco técnica, devido à irregularidade do piso, mas rápida que fez levantar os níveis da adrenalina. Até ao Arraial do Vale Feitoso foi sempre a topo. A descer todos os santos ajudam, já o outro dizia. No arraial bem no centro do pinhal manso, de onde saiu grande parte da semente dos pinhais da Beira Baixa, fomos brindados pelo nosso colega Ricardo Estrela, responsável pela Herdade, com um belo lanche que nem vos conto.



O Arraial foi em tempos, um local muito importante nesta região, até Capela tinha e tem ainda. Dentro da Herdade chegaram a existir duas escolas primárias. Como o tempo não para, tivemos que nos fazer de novo aos trilhos. Estávamos mais ou menos a meio do percurso, mas com a parte difícil já feita. Saímos em direcção ao Rio Erges, passando pelos arraiais dos Borregos, da Nave Sobreira, dos Calçudos, etc. São muitos os arraiais da herdade, mais de dez.


Ainda antes de chegarmos ao Rio, tivemos ainda um encontro com mais um grupo de Veados.




Uma coisa que abunda bastante também, são os ribeiros, que nos proporcionam situações bem divertidas com esta que desfrutámos na Ribeira da Nave. Com o calor que fazia, até já apetecia chapinhar, embora a água estivesse fresquinha.



Primeiro o Paulo, que por pouco não ia à água...




Depois o Nelson que atravessou como um PRÓ.


Apanhámos de seguida uns trilhos espectaculares, feitos pelo gado, mesmo ao lado do Erges, durante alguns quilómetros.


Depois desses trilhos planos, fizémo-nos à ultima parede do dia, ou da noite, pois já estava a anoitecer quando chegámos ao Hotel Astória com a barriguinha cheia de bons trilhos, belas paisagens e de caça com cerca de 45 km e cerca de 950m de acumulado.


Com esta Natureza toda à disposição, lançaram-me um desafio de organizar um Safari de Bike, que em principio será guiado. O percurso maior já está levantado, falta o mais pequeno para os que estejam menos preparados.
Para veres as fotografias todas basta clicares numa. Em breve darei mais noticias sobre este evento. A repetição do Raid Castelo Branco/ Termas de Monfortinho, que será no mesmo fim de semana do ano passado, está agendado para o dia 21 de Junho de 2009.
Até lá fiquem bem, pedalando...

domingo, 1 de março de 2009

VSLSS Meninas de Volta

Após uma paragem de 5 meses, decidi voltar a pedalar.
Convidei a Isabel que, mesmo com singlespeed, teve pedalada para a VSLSS que teve início no Centro Cívico, passou pelo single da Carapalha e passou pelo aeródromo.

A repetir brevemente.
Para já, a galeria fotográfica (basta clicar sobre a foto).

Lentiscais, Ir e Voltar

Mais umas pedaladas ao Domingo, como não poderia deixar de ser, juntaram-se 8 amantes da modalidade, Eu Abílio Fidalgo, Pedro Antunes, Álvaro, Nuno Maia, Bruno Dias, João Pacau, Rui Lourenço e Jorge Palma.



Não estava decidido para onde irmos, mas eu pessoalmente já estava com algumas saudades do Ponsul. Parece que não era só eu. O Nuno Maia sugeriu irmos até aos Lentiscais tomar um cafézinho ao Pescaça. Vamos embora que se faz tarde...


Saímos direcção aos Maxiais através de trilhos conhecidos, descidas adrenalínicas, singles tracks, lavradas, etc. Lavradas sim, um dos singles mais bonitos e perigosos para os lados do Ponsul, a parte final foi lavrada. Uma subida para arfar até aos Lentiscais, onde tomámos o cafézinho da ordem e pusemos a conversa em dia.


Depois foi descer até ao Ponsul por alguns trilhos novos e bastante engraçados. Como já devem calcular as dificuldades do dia começaram a partir daqui. Primeiro um sobe e desce que já há muito tempo não fazia e a seguir a parede do dia até ao Valongo, onde chegámos por volta das 12h30m com cerca de 45 km e 800 e tal de acumulado. Como foi uma volta um pouco dura acabámos por ir abastecer à Associação do Valongo com Sagrespam. As minhas articulações já vinham a pedir.

Para ver as fotos todas basta clicares numa delas. Domingo que vem, há mais para quem não vai a Vila Velha aos Trilhos da Açafa, nas Docas às 8 horas.

Um abraço e boas pedaladas.