domingo, 10 de maio de 2009

24h BTT Castelo Branco - o Rescaldo by pjfa

Clicar sobre a foto para aceder à Galeria Fotográfica (191)

Boas a todas e todos.

Ainda a recuperar (o sono, entenda-se) vou deixar o meu testemunho.

Contextualizando:
Há cerca de 3/4 semanas, a ideia surgiu durante o almoço da Maratona Alcains-Gardunha. Fazer uma ou várias equipas para participar nas 24h BTT de Castelo Branco, dias 9 e 10 de Maio.
É claro que existiram logo movimentações para uma das equipas ser a "Freaky Team" que teria como objectivo... diversão total
Equipa composta por 6 elementos (é o máximo permitido, nós bem queríamos que fosse de 8 ou 10 ou como referiu o CLI, de 24 e cada um andava 30 minutos de cada vez).
Quanto a logística, falou-se em grelhador, barril de cerveja, espreguiçadeiras, massagens e... hora para a "siesta".
O Bacalhau disse que iria pedalar na vez dele e de todos os outros que - chegado o momento de ir para o percurso - não tivessem vontade.
Esta equipa não terá compromissos de voltas a realizar ou de tempos.
Se logo ali, o Paulo Bacalhau e o Carlos Lozoya haviam sido seduzidos pelo espírito da prova, ainda faltavam 3 elementos.

Era hora de fazer as diligências, que é como quem diz, enviar o e-mail ao pessoal do pedal e tentar "enganar" alguns.

Após alguns e-mail´s enviados...
A Teresinha (que já havia sido da equipa na edição de 208 das 24 h de LX) entrou para a equipa e trouxe a Gi com ela.
O Rarn (também ele da equipa nas 24h de Lx de 2008) aceitou de novo o desafio.

Formalizou-se a inscrição e definimos a estratégia para a prova:

O Bacalhau iria ser quem pedalasse quando faltasse a "frescura" aos restantes.
Definiram-se tarefas:
Rarn e CLI ao grelhador e Bacalhau de plantão à arca frigorífica que apenas começou a refrescar as bebidas no Domingo.

Véspera da prova:
Assembleia Geral no Centro Cívico - onde um elemento que participou a solo veio espiar a táctica para o fim de semana.
O CLI entregou os dorsais que tinha levantado no Alegro, minutos antes (parece que a menina que o atendeu não era poliglota, da próxima vez, vai o Bacalhau com Portuguêiz do Brasíu.)

Dia da prova, pelas 9h30, chego ao local e lá está o nosso "Lounge Area".
Chega também o material de apoio à prova:
Cadeiras, mesas, grelhador - num primeiro carregamento; cavalete, lubrificantes, câmaras de ar e ferramenta num segundo e Bicicletas num terceiro. O mais importante, sempre em primeiro lugar.

Hora de organizar tudo como deve ser para receber as três equipas que iriam partilhar o espaço.

Na véspera, a ordem de saída tinha sido definida: Teresinha, Rarn, CLI, Gi, Bacalhau, pjfa.

O Bacalhau e o CLI ainda foram fazer a volta de reconhecimento e o veredicto foi: "Veinte e cuatro minutos, nada mal" da parte do CLI e "Isto istá bõm para susspenssão totáu" disse o Bacalhau.

Chegou o momento da partida e lá fomos tirar umas fotos às Teresinha. Lá foi ela toda sorridente.

Enquanto os minutos foram passando, tirámos fotos, assámos umas belas febras, buzinávamos e batíamos palmas aos atletas para lhes dar ânimo. Não sei porquê mas o Bacalhau apoiava sempre mais as "mininas" que os "mininos".

Sempre que passava alguém das nossas equipas, a "casa vinha abaixo", tínhamos de mostrar o nosso apoio por alguém estar a pedalar por nós.

O momento dramático do dia aconteceu quando o nosso Bacalhau ficou demolhado com aquela trovoada que se abateu sobre Castelo Branco. Quando acabou o turno dele, tivemos que o pendurar para secar.

A noite também foi chegando e com ela, o colorido próprio destes eventos com as luzinhas lá ao longe, no meio de nenhures. Com a chuva, o piso ficou melhor, com mais "grip" (não interpretar mal com a Gripe A).

Com duas voltas de cada vez (três para o Bacalhau, a dada altura) a opção foi a mais acertada. O percurso, apesar de curto, era algo complicado para o pessoal das hardtail. Para mim, estava um mimo, apenas faltando zonas um pouco mais técnicas mas, naquele sítio, não se podia pedir isso. Maioritariamente feito no prato 44, era bastante rápido o que levava a que tivesse de gerir o esforço.

O "Freaky Team" parou para o jantar pelas 21h00 onde, os nossos amigos Marvic e São trouxeram um toque Zen à nossa "Lounge Area". Trouxeram velas e flores. E, como se não fosse pouco, voltaram a aparecer à uma da manhã com café quente. Que bem que soube.

O bolo de maçã da Nela e os ovos verdes estavam deliciosos e o arroz de feijão da Alexandra um regalo.

O café foi tomado na zona do restaurante e gentilmente oferecido pela organização. Um grande bem haja para eles.

A noite foi passada à volta da mesa, em boa companhia. Também apareceram a Tê e o João com mais um casal. Tinham feito o Idanha-Zarza e vierem dizer um olá.
O Norberto também nos fez companhia (ele que no ano anterior também fez parte da equipa do 24h de Lx), sempre agradável.

Agora que penso nisso, devíamos ter colocado um livro de visitas para o pessoal deixar uma dedicatória.

O pessoal da Organização também esteve sempre presente. Sempre preocupado para com o pessoal, se estava tudo em condições e se precisaríamos de algo. Nota 5 para eles. Incansáveis.

Com a noite, veio também a luta pelos melhores lugares... no colchão.
O pessoal dormia à vez, outros nem dormiram.

Eu, apaguei-me pelas 6 da manhã, após um banho quente e só voltei a acordar às 8h45 ao som da buzina (ou seja, quem me rogou pragas pelos toques ocorridos entre as 7h e as 10h, vai ter de anular os "maus olhados").

O CLI ainda saiu para o circuito no final da manhã e cruzou a meta com a sua Orbea levada em braços.

O FREAKY TEAM despedia-se, assim das 24h BTT de Castelo Branco.

Depois de arrumada a trouxa, lá fomos cada um para seu lado (para as suas camas entenda-se).

O balanço foi francamente positivo e os objectivos largamente superados.

Algumas notas soltas:
- a área da prova (com tudo o que implicou) estava excelente;
- a organização teve em conta pequenos pormenores que fazem a diferença, como sejam a máquina para lavar as bicicletas;
- o som, mesmo para nós, que estávamos algo afastados da zona mais movimentada, era perceptível;
- a música foi muito repetida.

Para terminar, a Teresinha marcou presença na entrega de medalhas, no Alegro. Os outros estavam todos a dormir.

Agradecimentos:
AG Bike Shop - assistência técnica e indumentária
Talho Matos - géneros
Padaria do Salgueiro - pão e bolos
Café Tropical - cadeiras e mesas

Vê-mo-nos em 2010!!!


Para terminar, umas palavras de força para a Vera, o Conguito, o Polegar e a Gi (que teve de abandonar a prova - mas não a equipa - devido a indisposição).

2 comentários:

teresinha disse...

Bem, melhor descrição da nossa participação no 24 horas era impossível! Espectacular, Paulo. Bora lá pensar já no próximo! :)

Norberto disse...

Sim senhor, tal é a qualidade do debriefing que quase se eleva a categoria de best seller em qualquer prateleira de uma qualquer livraria :).

Eu tive a oportunidade de dar um saltinho até ao recinto e de facto confirma-se o bom ambiente. Não tinha certamente o aparato que as 24H de Lx tinham, mas o ambiente em si era muito agradável. Também não era de esperar menos, atendendo à qualidade da equipa :).

Aproveito para deixar o repto para as 24H de Lisboa deste ano... haverá por aqui algum(a) voluntário(a) que queira aventurar-se nessa prova?