terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

SAUDADES DOS TRILHOS E DAS CAGANITAS

Deviam pensar que não iria postar, mas enganaram-se. O trabalho é que tem sido muito, e isto de Blogs, cada vez mais me convenso que é para quem tem tempo. A parte deste desabafo, as saudades eram mais que muitas. Tantas, tantas, que nem a Maria conseguiu evitar que o fim de semana passado fosse dedicado ao BTT. Tudo começou na sexta feira com o desafio do Mike e do João Valente, para uma voltinha light no sábado, pois tínhamos um elemento novo no grupo. Como a vontade era tanta, nem era preciso dizer mais nada a não ser onde nos encontramos?
Às 9 horas de sábado, lá estavam seis companheiros, com uma vontade terrível de pedalar, Filipe, João Afonso, Mike, João Valente, eu (Abílio Fidalgo) e o Afonso, o tal elemento novo que demonstrou que está preparado para começar a aparecer aos Domingos nas Docas. Três Trek e três Canyon.Como a volta era para ser rolante, rumámos ao portal do frigorífico para sairmos da cidade em direcção à Alcains. Já alguém tinha dito que o portal do frigorífico era para esquecer, mas nada melhor que ver com os próprios olhos. Foi isto que vimos.
Lá se foi uma das justificações dos oponentes à mudança do ponto de encontro para as Docas. O remédio era voltar para trás, e atravessar no cruzamento da variante, que eu pessoalmente, considero perigoso, devido à fraca visibilidade e à alta velocidade a que passam muitos carros.


Seguimos direcção a Alcains, infelizmente mais por alcatrão que por terra. Entramos na terra, junto às piscinas pelo trilho menos utilizado. Atravessámos Alcains e saímos em direcção às hortas dos Escalos de Cima, onde parámos para o cafézinho da ordem e para por a conversa em dia.
Saímos dos Escalos de Cima, direcção aos depósitos da Lousa passando pelo vale do Lobo para entramos nos Escalos de Baixo pelo Cemitério.


Tempo depois para umas fotos no chafariz e mais um pouco de conversa. Como já começava a fazer-se tarde, toca de picar a mula pelo caminho mais rápido para Castelo Branco, com passagem pelo Monte Brito, Alagão, Desembargadores.

Entramos na cidade pelas Fontainhas onde parámos numa garagem onde matámos a sede com o liquido precioso Sagrespam e demos uma mangueirada nas bikes, pois no dia seguinte era dia de pedalar também.

Foram cerca de 45 Km de lama, água, boa disposição e camaradagem. Para ver as fotografias todas de Sábado basta clicares no link http://picasaweb.google.pt/abilio.fidalgo/20090207?feat=directlink.




Com isto tudo devem estar a perguntar onde entram as caganitas?

Pois é como já tive ocasião de referir, o fim de semana foi de BTT e as caganitas entram no Domingo. O Roberto tinha combinado um fim de semana desportivo, a começar com um jogo de futebol no sábado e uma volta de BTT no Domingo. Mas depois de tanto tempo sem pedalar, o pessoal não ficava satisfeito com 20 ou 30 Km, queriam mais. Assim decidimos sair como habitualmente às 8 horas. Reuniram-se nas Docas 11 companheiros com muita vontade de pedalar. Passo a enumerar: João Afonso, Luis Lourenço, Marcelo, Nuno Maia, Mike, João Valente, Álvaro, Pedro Antunes, Agnelo, Jorge Palma e eu.

Saímos em direcção à Santa Casa da Misericórdia, contornando a rotunda, saímos na terceira saída, apanhando uns trilhos, para mim a estrear, que vão atravessar a variante do Modelo para a quinta das violetas, junto à Cova do Gato. Nesta zona avistámos 4 companheiros do pedal, que não identificámos de imediato, mas que ao aproximarmos-nos descobrimos que era a nossa malta da Pires Marques, Nuno Eusébio e Pedro Barroca, mais à frente seguindo por outro trilho ia o Silvério e Cabaço, segundo nos informaram. Como os trilhos não eram os mesmos, cada um seguiu pelos seus.


Seguimos em direcção à quinta da Liria, acompanhando a A23 durante algum tempo, desviando a seguir para a Tapada das Figueiras. Atravessamos a estrada de Cafede e rumamos ao Rio Ocreza por novos trilhos e singles espectaculares, que nos deixaram vontade de voltar.

Passámos pelo monte da Massana e descemos à ponte do Rio Ocreza. Seguimos pela estrada para a Senhora de Valverde, largando mais uma vez o alcatrão e entrámos em terra, nuns trilhos que eu gosto muito, pela velocidade e pelas curvas que apresenta. Na ponte da Ribeirinha apontámos azimutes para a Povoa de Rio de Moinhos, passando pela subida das três toneladas.

Se a subida é das três toneladas, a descida não fica por menos em direcção à Senhora da Encarnação. Desta vez entrámos nuns trilhos, que conheci na ultima volta de 2008 com o meu amigo Pinto Infante.

Tomámos o café rápido no bar do clube da Póvoa de Rio de Moinhos, onde aproveitámos para comprar algum pão para acompanhar as "Caganitas de Ovelha" e os "Chocalhos". Duas especialidades de queijo, de ovelha e cabra respectivamente, da Tapada das Sortes.

Daqui para frente, foi meter a taleiga porque estava a fazer-se tarde para a hora que estava marcado o encontro, e já cheirava a queijo. Passamos por trilhos novos, mais uma vez para mim a estrear.

Eis que chegámos à Tapada das Sortes, propriedade pertença do meu compadre Jorge Silva, com cerca de 15 minutos de atraso, e com o Jorge já à nossa espera. Esperámos cerca de mais 15 minutos, mas como o pessoal do Roberto não chegava e nós estávamos a arrefecer, resolvimos aceitar a sugestão do Jorge, que nos levou até à mesa onde se encontravam as delicias de queijo acompanhado de umas queijadas de requeijão e o vinho. Tudo caseiro. Aguardámos um pouco mais, mas como o resto do pessoal não chegava, resolvemos alterar um pouco a nossa rota para nos encontrarmos com eles no caminho.


Não sei se pela vontade de chegar se pela fome não houve tempo para grandes conversas. Foi pena não nos encontramos na Tapada. Desde já peço desculpa ao Roberto, mas o pessoal estava a arrefecer muito e estava a fazer se tarde.
Voltámos a meter a taleiga em direcção à pedra da légua, contornámos a Quinta da Aldeã por um trilho que em tempos se fazia muito mal e que agora é um estradão. Atravessámos a linha férrea em direcção à Fonte Santa. Entrámos pelas Fontainhas com cerca de 60Km e já um pouco tarde para fazer uso a uns provimentos do Agnelo que ainda vão passar a validade. Para ver todas as fotografias de Domingo basta clicares em http://picasaweb.google.pt/abilio.fidalgo/20090208?authkey=PFxGIQ8lTIs&feat=directlink
Já agora quem estiver interessado nas Caganitas de Ovelha e outro tipo de Queijo, pode contactar o Jorje através do mail tapadadassortes@gmail.com. Foi assim um fim de semana espetacular de BTT. Venham mais assim.

2 comentários:

JValente disse...

Puxa... já estava com dores no rabo de aqui estar sentado à espera deste post!!! Ehehehe!
Excelente Post!
Bem relatado!

Foi na verdade um exclente fds! venham mais e muitos como este!

Fiquem bem...
Vemon-nos nos Trilhos!

Rui Lourenço disse...

Com essa coisa das Caranitas ainda fiquei com mais inveja de não poder andar com o pessoal por estes dias! Prometo vingar-me a partir do próximo mês!
Boas Voltas Para Todos!